Amanda Nunes tem o dobro de golpes conectados nas rivais em lutas pelo cinturão no UFC

Com base em site de estatísticas, números mostram que a Leoa foi pouco tocada diante de Ronda Rousey, Cris Cyborg e Miesha Tate, todas derrotadas pela brasileira ainda no primeiro round

Por Combate.com — Rio de Janeiro

 

Amanda Nunes está invicta desde março de 2015, somando oito vitórias seguidas desde então, todas já no Ultimate. A lutadora baiana de 30 anos já teve pela frente três ex-campeãs da organização nesse período: Miesha Tate, Ronda Rousey e Cris Cyborg. Nada e nem ninguém, porém, parece poder parar a Leoa dentro da jaula. O Combate.com – com base no site FightMetric – analisou as estatísticas das cinco lutas de Amanda com o cinturão em jogo e concluiu que ela foi implacável com quase todas as rivais.

A campeã dupla do UFC recebeu um total de 149 golpes significativos nas últimas cinco lutas, enquanto disparou quase o dobro: 290. O próximo compromisso da baiana de Pojuca ainda é uma incógnita, apesar de já sinalizar que não pretende fazer imediatamente uma revanche com Cyborg e querer defender o cinturão peso-galo.

Em julho de 2016, Amanda Nunes estrelou o UFC 200, em Las Vegas, diante da então campeã Miesha Tate. A americana durou apenas 3m16 em cima do cage com a baiana, e conseguiu atingí-la com apenas três golpes significativos. No mesmo período, a brasileira conectou 40 golpes. No fim, Amanda Nunes saía do octógono campeã peso-galo (até 61,2kg) do Ultimate.

No UFC 207, em dezembro de 2016, Amanda tinha diante de si o maior nome da história do MMA feminino: Ronda Rousey. A ex-campeã voltava à ativa depois de um ano parada após perder o cinturão, mas só conseguiu ficar de pé por 48 segundos com a brasileira em Las Vegas. A americana conseguiu conectar apenas sete golpes significativos, enquanto Amanda conectou 27 dos 47 que tentou e venceu por nocaute.

A segunda defesa de título de Amanda Nunes foi a mais dura nesse período, numa revanche que mostraria que não é fácil encarar Valentina Shevchenko. No UFC 215, em Edmonton, Canadá, ela bateu a quirguistanesa mais uma vez, e conectou 86 golpes significativos. De volta, levou 72 golpes, num duelo que terminou com vitória por decisão dividida. A vitória da brasileira pode ser explicada ainda com outro número, como as duas quedas aplicada por Amanda – ambas no quinto round – e nenhuma de Valentina.

Na defesa seguinte de título, Amanda Nunes enfrentou a amiga Raquel Pennington no UFC Rio 9 e foi dominante por todo o combate. Foram 124 golpes conectados na americana, que devolveu 64 golpes significativos, quase metade da brasileira. A vitória da Leoa na capital carioca veio por nocaute aos 2m36 do quinto round.

Por fim, subindo ao peso-pena (até 65,8kg) para desafiar a então campeã Cris Cyborg, Amanda Nunes mais uma vez foi feroz. Diante de uma adversária invicta há 13 anos, ela precisou de apenas 51 segundos para nocautear a paranaense com 13 golpes significativos, ou seja, 61% dos golpes que tentou do total de 21 disparados. De volta, Cyborg conectou apenas três, incapazes de derrubar Amanda Nunes.

 

Holloway garante que está ‘saudável’ e Ortega comenta: ‘Rezo para que ele esteja bem’

Max Holloway e Brian Ortega farão um dos confrontos mais aguardados do ano no próximo sábado (8), na luta principal do UFC 231, que acontecerá em Toronto, no Canadá. Atual campeão peso-pena da organização, Holloway colocará o seu título em jogo pela segunda vez.

Em entrevista ao programa “The MMA Hour”, Max comentou sobre o episódio ocorrido no UFC 226, em julho, quando a luta contra Ortega foi cancelada com apenas três dias de antecedência após o campeão ter uma suspeita de concussão. Os exames feitos antes da luta do UFC 231 não apontam problemas, mas ele segue tentando entender o que aconteceu na ocasião.

“Não sabemos. Fizemos testes para o que imaginávamos. Fizemos, passamos e todos os resultados vieram ótimos, então, veremos em breve. Eu ainda estou fazendo uma investigação privada para entender o que aconteceu, porque ainda estamos tentando descobrir. No fim, não é aquilo que pensavam, então não posso comentar muito porque ainda estamos investigando”, disse Holloway.

Do outro lado, Brian mostra preocupação com o estado de saúde do oponente. Em entrevista recente ao site MMA Fighting, ele comentou sobre Holloway não saber o que está acontecendo, e espera que ele esteja bem para o duelo de sábado.

“Fizemos um show no Canadá e foi a primeira vez que ouvi. Ele disse que não sabia o que era, eu olhei pra ele e pensei: ‘Como assim você não sabe o que é? Você está falando sério?’ E estamos marcados para lutar daqui a pouco. Eu não sei. Rezo por ele e espero que esteja bem”, revelou Brian, que está invicto no MMA, com 14 vitórias contabilizadas.

 

Edson Pânico enfrentou Diego Dias e venceu ainda no primeiro round

A última luta da noite deste sábado (27), na arena de luta montada no Shopping Bela Vista era aguardada pelo grande público que queria saber quem levaria o cinturão da categoria Meio Médio, até 77kg, neste Qualify Combate – BrazilMMA. Edson Pânico enfrentou Diego Dias e venceu ainda no primeiro round. Um nocaute técnico no início do combate acabou com a esperança de uma luta mais disputada entre os oponentes. Pânico venceu e levou o cinturão de sua categoria.

Disputa de MMA agita shopping de Salvador

Qualify Combat tem programação a partir desta quinta no Shopping Bela Vista e 10 lutas no sábado

Grandes nomes do MMA nacional desembarcam em Salvador esta semana para a maior competição da modalidade no Norte e Nordeste. Em sua 7º edição, o Qualify Combat acontece no próximo sábado (27), às 17 horas, no Shopping Bela Vista. Serão 10 lutas de atletas profissionais da Bahia, Rio de Janeiro, Goiás, Sergipe e Alagoas.
O evento é gratuito, mas serão comercializadas mesas e cadeiras com visão privilegiada do octógono montado na praça principal do shopping. Há a opção também de assistir de casa com a transmissão em pay-per-view do site Brazil MMA (www.brazilmma.com.br).
Para esta edição, outra novidade é que os amantes do esporte terão a oportunidade de conhecer mais do MMA em atividades do Fight Week, que a organização do evento oferece a partir da quinta-feira (25) no local. A programação conta com bate-papo de mestres, treino aberto, exibição de técnicas e palestras.
O mestre Renato Castro, um dos organizadores do evento, afirma que a programação e o card de lutadores do Qualify Combat foram pensados para projetar o evento nacionalmente. “As expectativas estão sendo as melhores possíveis. Estamos com uma excelente aceitação, não só em Salvador, mas nacionalmente. Montamos uma grande estrutura, em parceria com o shopping, e estamos trazendo os melhores atletas para um card muito forte”, destaca.
É esperado um público de mais de 3 mil pessoas que vai poder conferir a atuação de algumas estrelas do MMA brasileiro, com lutadores da envergadura de Edson Pânico, Máquina da Dor, Diego Dias, Yago Codorninha, Betão Nogueira, Fabrício Alagoinhas e Rodrigo Lídio.

CONFIRA O CARD DE LUTAS:

Categoria Médio até 70kg:
Tiago Calheiros (Bahia) x Joca Almeida (Bahia)

Categoria Palha 52kg:
Gajão Junior (Bahia) x João Antunes “Skilo” (Bahia)
Yago “Codorninha” (Minas Gerais) x Marlon Kid (Rio de Janeiro)
Dôglas “Puro Osso” (Bahia) x Fredson Moreira (Bahia)

Disputa de Cinturão Leve 70kg:
Rodrigo Lídio (Bahia) x Arthur Thai (Minas Gerais)

Disputa de Cinturão Pena 66kg:
Fabrício Alagoinhas (Sergipe) x Betão Nogueira (Rio de Janeiro)

Disputa de Cinturão Interino Galo 61kg:
Humberto Vieira (Rio de Janeiro) x “Máquina da Dor” (Minas Gerais)

Categoria Galo 61kg:
Layze Cerqueira (Bahia) x Mayra Cantuária (Goiás)

Disputa de Cinturão Meio Médio 77kg:
Diego Dias (Bahia) x Edson “Pânico” (Goiás)

Categoria Meio Pesado 93kg:
Bruno Leonardo (Alagoas) x Herrick Kong (Bahia)

Manuwa sofre lesão, e Anders o substitui contra Marreta na luta principal do UFC SP

Lutador, que já estava em São Paulo, se machuca ao correr e está fora da luta. Eryk Anders aceita assumir o posto diante do brasileiro a cinco dias do evento deste sábado, no Ibirapuera

Brasileira finaliza compatriota e mantém cinturão no Invicta FC 31

Virna Jandiroba, campeã peso-palha, finalizou Janaísa Morandin no segundo round e manteve o cinturão, no evento que é exclusivo para mulheres

 

Campeã peso-palha do Invicta FC, Virna Jandiroba manteve o cinturão na noite de sábado (1), em Kansas City (EUA), na edição 31, ao finalizar a compatriota Janaísa Morandin, no segundo round. A dona do cinturão chegou a 14ª vitória na carreira – sendo 11 por finalização. Essa foi a primeira defesa de título.

Confiante, Jandiroba mostrou todas as credencias de uma campeã para defender o posto. A lutadora dominou as ações a partir do primeiro round. Já no segundo assalto, com a adversária mostrando pouco poder de reação, encaixou um triângulo de braço e garantiu o triunfo. Ainda no cage, a brasileira comemorou a vitória e exaltou o seu Jiu-Jitsu.

– Eu sou a campeã, sou a melhor do mundo. Eu sou o futuro. Eu sou finalizadora e é isso que eu faço – disse a baiana, que segue invicta como profissional.

Virna Jandiroba finalizou Janaisa Morandin com triângulo de braço no 2R

Virna Jandiroba defende o título do Invicta UF contra Janaisa Morandin em setembro

Virna Jandiroba vai colocar seu campeonato de peso e invicto na linha do Invicta FC 31 .

A recém-coroada campeã de 115 libras defende seu título contra a compatriota brasileira Janaisa Morandin (10-1) no principal evento do torneio do dia 1º de setembro no Templo do Ritual Escocês em Kansas City, Missouri, anunciaram autoridades nesta quinta-feira.

Jandiroba venceu uma decisão dividida contra Mizouki Inoue no Invicta FC 28 em março passado para capturar o título vago da categoria. O especialista de finalização de 30 anos é 2-0 desde que se juntou à promoção e 13-0 como profissional, com 10 das suas vitórias a serem eliminadas.

Morandin, de 23 anos, deixou uma decisão unânime para a ex-campeã da Invicta, Livia Renata Souza, em sua estréia em agosto do ano passado, mas se recuperou com uma vitória por decisão unânime sobre Kinberly Novaes no mês de dezembro seguinte. Antes de ingressar na Invicta, “Evil Princess” estava invicto em nove lutas profissionais com cinco dessas vitórias vindo por KO / TKO.