torcida para sua sexta vitórias consecutiva

É hoje! Carlos Júnior, o nosso Cara de Sapato, faz um convite especial para que toda galera que segue o insta Brazil MMA assista sua luta neste sábado pelo #UFCRocherter. Daqui estamos na torcida para sua sexta vitórias consecutiva. O lutador que é faixa-preta de Jiu-Jitsu se recuperou de uma lesão que o deixou um ano longe do octógono. Ele vem com sangue no olho para a disputa contra o americano Ian Heinisch. Estaremos na torcida #Oss

Segunda Etapa do Campeonato de jiu-jitsu em lauro de freitas

Mais uma Etapa do Campeonato Bahiano de Jiu-jitsu, hoje 05 de maio de 2019, evento produzido pela Federação Bahiana de Jiu-jitsu e MMA, com muita satisfação a BRAZILMMA realizou a transmissão AO vivo através do Instagram @brazilmma.

Disputa de Faixa Preta Absoluto
Boné Lançamento da BrazilMMA

Agradecemos a toda Diretoria e equipe da Federação Bahiana de Jiu-Jitsu e MMA pelo convite e pela confiança depositada. 

A Arte Suave – Jiu-Jitsu
Loygus Camisetashttp://loygus.com.br
h
lhttps://brazilmma.com.br/produto/camisa-brazilmma-preta/

Cara de Sapato luta com Ian Heinisch, no dia 18 de maio NO UFC ROCHESTER


Cara de Sapato vem numa sequência de cinco vitórias, tendo batido Tim Boetsch em abril de 2018, na sua última luta. Foto Reprodução Instagram:
https://www.instagram.com/caradesapatojr/

Agenda: UFC Rochester
18 de maio de 2019, em Nova York (EUA)
Peso-médio: Antônio Cara de Sapato x Ian Heinisch


Antonio Carlos “Cara de Sapato” Júnior é um lutador brasileiro de artes marciais mistas radicado na Bahia. Campeão do The Ultimate Fighter: Brasil 3 no peso pesado, como prêmio assinou um contrato com o UFC e lutará na categoria dos meio pesados.

Cara-de-Sapato-reproducao-instagram-CaradeSapato-
BRAZIMMA TEST DRIVE L200

“A praia de Antônio Carlos é o chão. Além do passeio sobre Miranda na estreia de ambos no octógono, Cara de Sapato tem pedigree no jiu-jitsu, onde é faixa preta. Além de diversos títulos brasileiros, ele foi campeão mundial ainda na faixa marrom, em 2010 – venceu no peso e no absoluto. Já como preta, conquistou o Campeonato Pan-Americano no absoluto, em 2012. E, no MMA, suas três primeiras vitórias vieram por finalizações.

http://www.salvadorcar.com.br/

Ele não se limita à arte suave. Em pé, Antônio mostrou talento, a ponto de fazer frente com Vitor, um conhecido lutador de muay thai, com passagens por outros eventos de MMA e pelo K-1 (maior evento de luta em pé no mundo).

Mas de onde surgiu Cara de Sapato? Paraibano de João Pessoa, Antônio é radicado em Salvador. Lá, treina com gente como Junior Cigano, ex-campeão dos pesos pesados do UFC e de quem já foi sparring, e tem como técnico Luiz Dórea (responsável por afiar o boxe de gente como o próprio Cigano, Rodrigo Minotauro, Anderson Silva, entre outros).  O apelido, diga-se, é em função do queixo grande.

Quando criança, era hiperativo e, antes de se encontrar nao jiu-jitsu, experimentou vários esportes: judo, taekwondo, futebol, hipismo e natação, onde chegou a se destacar. Mas, além da hiperatividade, outra característica do campeão do TUF salta aos olhos: ele desenvolveu síndrome do pânico quando criança. O problema se agravou em 2011, quando seu primeiro professor de jiu-jitsu foi assassinado em João Pessoa.

A ascensão dentro do MMA foi rápida. Ele é profissional há apenas um ano. A primeira luta aconteceu em julho do ano passado, no Nordeste MMA 1. Ele finalizou Celivaldo da Silva e inaugurou a contagem do cartel, até agora, imaculado. Em setembro, finalizou Geronimo Oliveira com uma chave de braço no Imperium MMA Pro 6. Em outubro, foi a vez de  Ednaldo Novaes sucumbir ao triângulo de braço do paraibano, que até então, só havia lutado na Bahia.

No TUF, ele se destacou com vitórias tanto por nocaute quanto por finalização. E, contra Vitor Miranda, se consagrou. Bom em todas as valências do jogo, tem tudo para ir longe no UFC.”
Por Matheus Adami do site Torcedores.Com


a baiana Virna Jandiroba está no UFC!

Ela está no UFC! No próximo dia 27 de maio, a baiana Virna Jandiroba enfrenta a americana Carla Esparza no UFC Fort Lauderdale, na Flórida (EUA). Carcará, como é conhecida, Virna foi convidada pelo Ultimate Fighting Championship após a brasileira Livinha Souza, escalada para a disputa, sofrer uma lesão. Essa luta promete ser eletrizante, de um lado a Carcará campeã peso-palha do Invicta FC de outro a americana ex-campeã da categoria no UFC. A Brazil MMA conversou com Virna sobre sua expectativa para a luta e ela mandou um recado para os amantes da modalidade. Estamos todos na sua torcida @virnajandiroba

Robson Conceição atropela argentino em sua primeira luta como profissional no Brasil

Ouro na Rio 2016, brasileiro vence Sergio Estrela no primeiro round e segue invicto com 12 vitórias, seis por nocaute

Por Globoesporte.com — Rio de Janeiro

31/03/2019 21h58  

Campeão olímpico nos Jogos Rio 2016, Robson Conceição protagonizou uma das principais lutas da noite deste domingo do Boxing for You, em Mangaratiba, no Rio de Janeiro. O baiano de 30 anos não deu chances ao argentino Sergio Estrela, na categoria super-pena (58kg), confirmou o favoritismo e venceu por nocaute em sua primeira luta como profissional no Brasil. Robson manteve a invencibilidade com 12 vitórias, sendo seis por nocaute.


Cigano bate Lewis por nocaute técnico no UFC Wichita e se reaproxima do cinturão

Ex-campeão peso-pesado do Ultimate vence na luta principal do evento realizado no Kansas, sábado, emplaca o terceiro triunfo consecutivo e canta parabéns para o filho no octógono

A boa fase, definitivamente, está de volta. Junior Cigano, que desde a época que detinha o cinturão peso-pesado, há cerca de sete anos, não atravessava um momento tão bom, venceu Derrick Lewis por nocaute técnico a 1m58s do segundo round na luta principal do UFC Wichita, no Kansas (EUA), na noite de sábado.

– Obrigado, Wichita! Eu passei por ótimos momentos aqui! Estou me sentindo muito bem. Eu tinha combinações, trabalhei em cima disso, sabíamos que ia pegar alguma hora. Hoje é aniversário do meu filho Bento e queria que todo mundo cantasse comigo “Parabéns para você”. Como esse caras podem estar na minha frente (no ranking)? Eu quero minha chance pelo cinturão – declarou Cigano, atendido pela torcida.

Algoz de Blagoy Ivanov e Tai Tuivasa, em 2018, Cigano anotou a terceira vitória seguida, se aproximando da disputa do título, cujo dono atual é Daniel Cormier. Derrick Lewis, que perdeu justamente para “DC” no ano passado, amarga dois reveses consecutivos, algo inédito na carreira.

No segundo round, Lewis investiu nos chutes altos, baixos e até saltando. Cigano, ligeiro, conseguia se desvencilhar ao fugir das investidas de um oponente bem mais lento. Após acertar a mão direita em cheio no rosto de Derrick Lewis, Cigano conectou ótima sequência. O americano bambeou, tentou se afastar, mas as pernas fraquejantes o fizeram cair. O ex-campeão, então, golpeou o rival seguidamente no solo e obrigou Herb Dean a interromper o confronto.

UFC Wichita
9 de março de 2019, no Kansas (EUA)
CARD PRINCIPAL
Junior Cigano venceu Derrick Lewis por nocaute técnico a 1m58s do R2 

A luta

Junior Cigano e Derrick Lewis buscaram a aproximação no começo do primeiro round. “The Black Beast” deu uma joelhada voadora, Cigano arriscou um chute giratório e foi acertado pela mão direita do americano. O ex-campeão soltou a mão direita, balançou Lewis, que devolveu na mesma moeda. O brasileiro se afastou para respirar, e eles voltaram ao centro do octógono. Estático, Lewis procurava a melhor hora para golpear, enquanto o catarinense conectava jabs na linha de cintura e se movimentava para tentar surpreender o oponente, apoiado pelos gritos da torcida. No ponto alto da primeira etapa, Cigano acertou um chute rodado em cheio na linha de cintura de Derrick Lewis, que se curvou, acusando o golpe. Entretanto, o americano soltou o braço na direção de Cigano de forma surpreendente, forçando o brasileiro a mostrar agilidade e rapidez para se defender e evitar receber o golpe, que poderia ter sido decisivo, em cheio. Em seguida, Lewis voltou a ficar curvado, porém, ressabiado, o ex-campeão não avançou com o mesmo ímpeto em sua direção.

Por Combate.com — Wichita, EUA

10/03/2019 00h51  

Amanda Nunes tem o dobro de golpes conectados nas rivais em lutas pelo cinturão no UFC

Com base em site de estatísticas, números mostram que a Leoa foi pouco tocada diante de Ronda Rousey, Cris Cyborg e Miesha Tate, todas derrotadas pela brasileira ainda no primeiro round

Por Combate.com — Rio de Janeiro

 

Amanda Nunes está invicta desde março de 2015, somando oito vitórias seguidas desde então, todas já no Ultimate. A lutadora baiana de 30 anos já teve pela frente três ex-campeãs da organização nesse período: Miesha Tate, Ronda Rousey e Cris Cyborg. Nada e nem ninguém, porém, parece poder parar a Leoa dentro da jaula. O Combate.com – com base no site FightMetric – analisou as estatísticas das cinco lutas de Amanda com o cinturão em jogo e concluiu que ela foi implacável com quase todas as rivais.

A campeã dupla do UFC recebeu um total de 149 golpes significativos nas últimas cinco lutas, enquanto disparou quase o dobro: 290. O próximo compromisso da baiana de Pojuca ainda é uma incógnita, apesar de já sinalizar que não pretende fazer imediatamente uma revanche com Cyborg e querer defender o cinturão peso-galo.

Em julho de 2016, Amanda Nunes estrelou o UFC 200, em Las Vegas, diante da então campeã Miesha Tate. A americana durou apenas 3m16 em cima do cage com a baiana, e conseguiu atingí-la com apenas três golpes significativos. No mesmo período, a brasileira conectou 40 golpes. No fim, Amanda Nunes saía do octógono campeã peso-galo (até 61,2kg) do Ultimate.

No UFC 207, em dezembro de 2016, Amanda tinha diante de si o maior nome da história do MMA feminino: Ronda Rousey. A ex-campeã voltava à ativa depois de um ano parada após perder o cinturão, mas só conseguiu ficar de pé por 48 segundos com a brasileira em Las Vegas. A americana conseguiu conectar apenas sete golpes significativos, enquanto Amanda conectou 27 dos 47 que tentou e venceu por nocaute.

A segunda defesa de título de Amanda Nunes foi a mais dura nesse período, numa revanche que mostraria que não é fácil encarar Valentina Shevchenko. No UFC 215, em Edmonton, Canadá, ela bateu a quirguistanesa mais uma vez, e conectou 86 golpes significativos. De volta, levou 72 golpes, num duelo que terminou com vitória por decisão dividida. A vitória da brasileira pode ser explicada ainda com outro número, como as duas quedas aplicada por Amanda – ambas no quinto round – e nenhuma de Valentina.

Na defesa seguinte de título, Amanda Nunes enfrentou a amiga Raquel Pennington no UFC Rio 9 e foi dominante por todo o combate. Foram 124 golpes conectados na americana, que devolveu 64 golpes significativos, quase metade da brasileira. A vitória da Leoa na capital carioca veio por nocaute aos 2m36 do quinto round.

Por fim, subindo ao peso-pena (até 65,8kg) para desafiar a então campeã Cris Cyborg, Amanda Nunes mais uma vez foi feroz. Diante de uma adversária invicta há 13 anos, ela precisou de apenas 51 segundos para nocautear a paranaense com 13 golpes significativos, ou seja, 61% dos golpes que tentou do total de 21 disparados. De volta, Cyborg conectou apenas três, incapazes de derrubar Amanda Nunes.

 

Holloway garante que está ‘saudável’ e Ortega comenta: ‘Rezo para que ele esteja bem’

Max Holloway e Brian Ortega farão um dos confrontos mais aguardados do ano no próximo sábado (8), na luta principal do UFC 231, que acontecerá em Toronto, no Canadá. Atual campeão peso-pena da organização, Holloway colocará o seu título em jogo pela segunda vez.

Em entrevista ao programa “The MMA Hour”, Max comentou sobre o episódio ocorrido no UFC 226, em julho, quando a luta contra Ortega foi cancelada com apenas três dias de antecedência após o campeão ter uma suspeita de concussão. Os exames feitos antes da luta do UFC 231 não apontam problemas, mas ele segue tentando entender o que aconteceu na ocasião.

“Não sabemos. Fizemos testes para o que imaginávamos. Fizemos, passamos e todos os resultados vieram ótimos, então, veremos em breve. Eu ainda estou fazendo uma investigação privada para entender o que aconteceu, porque ainda estamos tentando descobrir. No fim, não é aquilo que pensavam, então não posso comentar muito porque ainda estamos investigando”, disse Holloway.

Do outro lado, Brian mostra preocupação com o estado de saúde do oponente. Em entrevista recente ao site MMA Fighting, ele comentou sobre Holloway não saber o que está acontecendo, e espera que ele esteja bem para o duelo de sábado.

“Fizemos um show no Canadá e foi a primeira vez que ouvi. Ele disse que não sabia o que era, eu olhei pra ele e pensei: ‘Como assim você não sabe o que é? Você está falando sério?’ E estamos marcados para lutar daqui a pouco. Eu não sei. Rezo por ele e espero que esteja bem”, revelou Brian, que está invicto no MMA, com 14 vitórias contabilizadas.